Noticias

Hipertensão e seus cuidados

O que é Hipertensão?

A hipertensão arterial sistêmica (HAS) ou pressão alta é uma condição clínica multifatorial caracterizada por níveis elevados e sustentados da pressão arterial (PA). Considerando-se valores de pressão arterial maiores ou iguais a 140 / 90mmHg. (1, 2 e 3)

Dados da hipertensão no Brasil

A última pesquisa que mensurou os dados da hipertensão em todo Brasil foi a Pesquisa Nacional de Saúde (PNS), feita pela Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em 2013. Nela foi detectada que 21,4% da população acima de 18 anos. Entre as mulheres, há um número maior com hipertensão (24,2%), enquanto entre os homens apenas 18,3% têm esse diagnóstico. (6)

Além disso, esse diagnóstico aumenta com a idade:

  • Entre 30 e 59 anos - 17,8%
  • Entre 60 e 64 anos - 44,4%
  • Entre 65 e 74 anos - 52,7%
  • De 75 em diante - 55%

O que é pressão sistólica e diastólica?

Quando o seu coração bate, ele contrai e bombeia sangue pelas artérias para o resto do seu corpo. Esta força cria uma pressão sobre as artérias. Isso é chamado de pressão arterial sistólica.

Há também a pressão arterial diastólica, que indica a pressão nas artérias quando o coração está em repouso, entre uma batida e outra. (1, 2 e 3)

Classificação

Os valores de pressão arterial em indivíduos acima de 18 anos classificam-se em (1, 2 e 3) :

Ótima: Pressão sistólica <120 _tmplitem="20" e Pressão diastólica <80

Normal: Pressão sistólica <130 e Pressão diastólica: <85

Limítrofe:130-139 e Pressão diastólica: 85-89

Hipertensão estágio 1: Pressão sistólica: 140-159 e Pressão diastólica: 90-99

Hipertensão estágio 2: Pressão sistólica: 160-179 e Pressão diastólica: 100-109

Hipertensão estágio 3: Pressão sistólica: = 180 e Pressão diastólica = 110

Hipertensão sistólica isolada: Pressão sistólica: = 140 e Pressão diastólica: < 90.

Pressão alta na gravidez

A hipertensão pode aparecer durante a gravidez ou já ser uma característica da mãe desde antes. Em ambos os casos, pode trazer diversos riscos à gestante, pois a pressão alta altera o fluxo sanguíneo da placenta para o feto causando inúmeros transtornos que podem culminar com sérias complicações como a diminuição do aporte de oxigênio para o feto.

Já no caso da mãe, o quadro pode desenvolver-se para a eclâmpsia, quando ocorrem convulsões na hora do parto. Por isso é muito importante que a grávida acompanhe sempre essa taxa com seu médico.

Ela também pode e deve tomar cuidados, como restringir o sal e controlar o peso. Para as mulheres que já tomavam medicamentos para controlar a pressão, podem ter que fazer troca de medicamento para não prejudicar a criança, mas tudo isso será avaliado pelo médico .

Tipos

A hipertensão pode ser dividida em três estágios, definidos pelos níveis de pressão arterial. Esses números, somados a condições relacionadas que o paciente venha a ter, como diabetes ou histórico de AVC, determinam se o risco de morte cardiovascular do paciente é leve, moderado, alto ou muito alto. Além disso, quanto mais alta a pressão arterial, maior a chance de o paciente precisar usar medicamentos (1, 2 e 3)

Saiba mais: Seu estilo de vida ajuda a prevenir a hipertensão?

Estágio I: hipertensão acima de 130 por 90 e abaixo de 160 por 100

Estágio II: hipertensão acima de 160 por 100 e abaixo de 180 por 110

Estágio III: hipertensão acima de 180 por 110.

Causas

A hipertensão normalmente é causada quando há uma resistência e endurecimento maior dos vasos sanguíneos para a passagem do sangue, o que necessita uma força maior do coração para o bombeamento do sangue.

Isso pode ser um processo natural do corpo, mas é aumentado com alguns dos fatores de risco listados abaixo:

Fatores de risco

A hipertensão é herdada dos pais em 90% dos casos. Em uma minoria, a hipertensão pode ser causada por uma doença relacionada, como distúrbios da tireoide ou em glândulas endocrinológicas, como a suprarrenal. Entretanto, há vários outros fatores que influenciam os níveis de pressão arterial, entre eles (1, 2 e 3):

  • Consumo de bebidas alcoólicas
  • Obesidade
  • Idade
  • Consumo excessivo de sal
  • Gênero e etnia (maior em homens, e em indivíduos de cor não branca)
  • Idade
  • Sedentarismo
  • Fatores de risco cardiovasculares adicionais aos pacientes com Hipertensão:
  • Tabagismo
  • Alteração dos níveis de colesterol toral e frações e triglicérides
  • Diabetes melito
  • História familiar prematura de doença cardiovascular: homens<55 anos e mulheres <65 anos.

TOP